Colangiopancreatografia (CPER)

O que é Colangiopancreatografia?

Como compreender a colangiopancreatografia (CPER)?

A CPER é uma técnica especializada que se dedica a estudar os dutcos da vesícula, o pâncreas e o fígado. Os ductos são vias de drenagem; o canal de drenagem do fígado se denomina ducto ou canal biliar.

Durante a CPER o médico insere um endoscópio através da boca, esôfago e estômago ate o interior do duodeno (primeira parte do intestino delgado). O endoscópio é um tubo delgado e flexível que permite ao médico observar o interior dos intestinos.

Uma vez que o médico visualiza a abertura comum dos dutcos do fígado e do pâncreas, passa um estreito tubo plástico chamado de cateter por meio do endoscópio até chegar ao interior dos dutcos. A seguir injeta uma substância de contraste nos ductos pancreáticos ou biliares e faz as radiografias.

Quais são os preparativos necessários? Antes do procedimento o paciente deve fazer jejum por no mínimo seis horas para garantir que o estômago esteja vazio (de preferência de um dia para o outro). O paciente deve informar o médico sobre os medicamentos que toma regularmente assim com sobre qualquer alergia que possa ter aos medicamentos. Informe o médico se é alérgico aos remédios que contém iodo. Se tiver uma alergia, isto não o impedirá de realizar a ECRP, o importante é analisar este tema com o seu médico antes do procedimento. Não se esqueça de mencionar ao seu médico se tem doença cardíaca, pulmonar ou outras doenças importantes. O que posso esperar durante a CPER? É possível que o médico lhe de um anestésico local na garganta ou um sedativo para que você se sinta mais cômodo.

Alguns pacientes também recebem antibióticos antes do procedimento. Você se deita sobre o seu lado esquerdo em uma mesa de raios-X. O médico insere o endoscópio através da boca, esôfago e estômago até chegar ao interior do duodeno. O instrumento não interfere na respiração porém é possível que você tenha uma sensação de inchaço devido ao ar introduzido através do instrumento.

Quais são as possíveis complicações da CPER?

Mesmo assim podem acontecer complicações que requerem a internação no hospital, mas que são pouco freqüentes. As complicações podem incluir pancreatite (inflamação do pâncreas), infecção, perfuração e sangramento intestinal. Alguns pacientes podem apresentar uma reação adversa ao sedativo utilizado. As complicações podem ser manejadas sem necessidade de cirurgia. Os riscos variam dependendo do motivo pela qual se realiza o exame, o que se encontra durante o procedimento, a intervenção terapêutica que vai até o fim e o fato de que o paciente não tenha problemas de saúde importantes. O paciente que é submetido a uma CPER terapêutica por exemplo para extrair cálculos, enfrenta um maior risco de complicações do que os pacientes que realizam uma CPER com fins de diagnóstico. Antes de fazer o exame, o seu médico analisará a probabilidade de complicações no seu caso.

O que posso esperar depois da CPER?

Se você se submete a uma CPER na forma ambulatorial, será observado para descartar complicações até que a maioria dos efeitos da medicação tenha desaparecido. É possível que tenha inchaços ou evacuação de fezes devido ao ar introduzido durante o exame, a menos que se indique o contrário, pode voltar a sua dieta habitual. Devido aos sedativos utilizados no exame, alguém deve acompanhá-lo até sua casa, mesmo que você se sinta bem depois do procedimento, pois a sua razão e os seus reflexos podem afetá-lo pelo resto do dia. Aviso Este site busca informar de forma orientativa sobre assuntos relacionados às enfermidades digestivas, mas você NUNCA deverá deixar de consultar e seguir as orientações de seu médico de confiança. Se você não dispõe de um médico, consulte os serviços médicos disponíveis em sua cidade a fim de receber tratamento adequado.