XVII Semana Brasileira do Aparelho Digestivo

Resolution Clip 360
7 Dezembro, 2018
Show all

XVII Semana Brasileira do Aparelho Digestivo

XVII Semana Brasileira do Aparelho Digestivo (SBAD 2018) em conjunto com a Semana Pan-americana de Enfermidades Digestivas (SPED 2018).

O Dr. Nelson Coelho participou da XVII Semana Brasileira do Aparelho Digestivo em São Paulo, atuando como moderador da mesa redonda Advanced ERCP (Colangiopancreatografia Retrógada Endoscópica (CPRE). ADVANCED ERCP Moderador: Glaciomar Machado (RJ) Moderador: Nelson Heitor Vieira Coelho (RS) When does cholangioscopy really make difference? Apresentador: Michel Kahaleh (Estados Unidos) Endoscopic papillectomy: when and how? Apresentador: José Celso Ardengh (SP) Papillary balloon dilation for stones: do we need to follow the guideline? Apresentador: Júlio Carlos Pereira Lima (RS) Post-operative bile duct strictures: how and for how long to manage it? Apresentador: Everson Luiz de Almeida Artifon (SP) Malignant hylar strictures: one stent? Two stents? Which stent? Apresentador: Carlos Alberto Macias Gomez (Argentina) Neste evento, assim como nas edições anteriores, a troca de conhecimentos entre os maiores especialistas do mundo mantém o profissional em constante evolução. Quem pesquisou sobre este assunto também se interessou por: Como é o procedimento do exame Colangiopancreatografia Retrógada Endoscópica (CPRE) em Porto Alegre? O que é um exame Colangiopancreatografia Retrógada Endoscópica (CPRE) em Porto Alegre?

O maior evento da Gastroenterologia, não só do Brasil, mas da América Latina acontecerá na cidade de São Paulo, de 17 a 20 de novembro de 2018, a XVII Semana Brasileira do Aparelho Digestivo (SBAD 2018) em conjunto com a Semana Pan-americana de Enfermidades Digestivas (SPED 2018).  Esses dois congressos serão promovidos pelas três sociedades nacionais: a Federação Brasileira de Gastroenterologia (FBG), a Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva (SOBED) e o Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva (CBCD) e pelas duas pan-americanas: a Organização Pan-americana Gastroenterologia (OPGE) e a Sociedade Interamericana de Endoscopia Digestiva (SIED). Os participantes terão acesso aos dois congressos simultaneamente, a SBAD e a SPED, porém com certificados distintos e com custo único.  Estimamos receber em São Paulo um total de 9.000 gastroenterologistas, 6.500 brasileiros e 2.500 estrangeiros e conteremos com mais de 600 palestrantes nacionais e 90 internacionais que abrilhantarão ambos os eventos. Nossa proposta será organizar uma SBAD e SPED de alto nível médico-científico. Para tanto, os dois programas científicos estarão totalmente integrados, com cursos pré-congressos, conferências, mesas-redondas, simpósios e sessões interativas, além da apresentação de temas livres orais e pôsteres, abordando todas as áreas da gastroenterologia. 

Para tanto a SBAD 2018 e a SPED 2018 serão realizadas no Centro de Convenções Transamérica Expo Center, o maior de São Paulo e um dos maiores e mais modernos das Américas. É um espaço de eventos com padrão internacional de versatilidade, sustentabilidade e conforto. Seu acesso é fácil e será facilitado pelo período dos congressos ocorrer em um feriado prolongado da cidade de São Paulo. No seu entorno há grande concentração de hotéis com oferta de aproximadamente 10.000 apartamentos, de todas as categorias.   Sobretudo, lembre-se que você é a pessoa mais importante para nós e os eventos estão sendo organizados especialmente para você.  Por isso, contamos com sua presença na XVII SBAD e SPED 2018! 

FLAVIO ANTONIO QUILICI Presidente da XVII SBAD e FBG
JOSÉ ROBERTO DE ALMEIDA Presidente da SPED 2018 e OPGE
FLAVIO HAYATO EJIMA Presidente da SOBED NICOLAU GREGORI CZECZKO Presidente da CBCD
JÚLIO CARLOS PEREIRA LIMA Presidente da SIED

SESSÃO 1: ESÔFAGO / ESTÔMAGO / DUODENO / FÍGADO E VIAS BILIARES / INTESTINOS Presidente: Leonardo Soares da Silva (AM) Halitose Apresentador: Paulo Jose Pereira de Campos Carvalho (SP) O que há de novo no tratamento clínico da doença do refluxo Apresentador: Luiz João Abrahão Júnior (RJ) O que há de novo no tratamento endoscópico da doença do refluxo Apresentador: Silvio de Melo (Estados Unidos) Eletroestimulaçao do EIE: quando, como e quais resultados Apresentador: Stephen Attwood (Outro País) Tratamento da acalasia idiopática Apresentador: Tercio Lopes (Estados Unidos) Tratamento da esofagite eosinofílica Apresentador: Stephen Attwood (Outro País)

SESSÃO 2: POST GRADUATE COURSE OPGE Presidente: Leonardo Soares da Silva (AM) H. pylori – o que devemos saber em 2018 Carlos Alexandre Antunes de Brito (PE) Doença Celíaca Soro Negativo: como diagnosticar e tratar  Apresentadora: Lorete Maria da Silva Kotze (PR) Como conduzir o paciente clínico, pós cirurgia bariátrica Apresentador: Josemberg Marins Campos (PE) Hepatite autoimune: como diagnosticar e tratar Apresentador: Saurabh Agrawal (Estados Unidos)

TERCEIRO BLOCO Moderador: Tomazo Antonio Prince Franzini (SP) Ecoendoscopia (Indicações, eficácia diagnóstica e terapêutica) Apresentador: Sergio Eiji Matuguma (SP) CPRE (Técnicas de cateterismo, indicações, complicações, litíase, estenoses) Apresentadora: Fernanda Prata Borges Magalhães Martins (SP) Pancreatites aguda e crônica Apresentador: Tomazo Antonio Prince Franzini (SP) Pâncreas (lesões inflamatórias, císticas, sólidas e pseudocistos) Apresentador: Rogerio Colaiacovo (SP) Estudo de intestino delgado: cápsula endoscópica e enteroscopia (Indicações, eficácia, fluxograma de exames) Apresentador: Artur Adolfo Parada (SP) Comentários do moderador

Colangiopancreatografia Retrógada Endoscópica (CPRE)

Definição A colangiopancreatografia retrógrada endoscópica (CPRE) é uma técnica que utiliza simultaneamente a endoscopia digestiva, procedimento que consiste na utilização de tubos flexíveis que permitem a visualização de imagens do tubo digestivo em monitores de televisão, e a imagem fluoroscópica para diagnosticar e tratar doenças associadas ao sistema biliar e pancreático. Vantagens e benefícios Esta técnica tem a vantagem de permitir, numa mesma sessão, detectar e tratar anomalias da árvore biliar e/ou do canal pancreático principal, recorrendo a diversos acessórios especializados que se passam através do duodenoscópio. Assim, é possível durante uma CPRE extrair cálculos, executar dilatações do canal com balão ou colocar uma prótese. Importa referir que a CPRE é uma técnica complexa que, comparativamente a outros procedimentos endoscópicos, está mais associada a complicações graves, pelo que deve ser reservada para os casos em que está devidamente indicada. Habitualmente, todos os doentes propostos para CPRE já foram submetidos a outros exames de imagem menos invasivos, como a ecografia abdominal, tomografia computorizada ou ressonância, que ajudam a definir a doença em causa e a sua localização, facilitando a interpretação dos dados da CPRE.

Colangiopancreatografia Retrógada Endoscópica (CPRE)

Colangiopancreatografia Retrógada Endoscópica (CPRE)

Metodologia O procedimento endoscópico inicia-se com o doente em decúbito ventral, sob anestesia geral ou sedação. É utilizado um duodenoscópio que é inserido na boca do paciente e passa através da garganta para o esôfago, estômago e segunda porção do duodeno, local onde se visualiza a papila duodenal (Papila de Vater). Esta papila corresponde ao ponto de convergência do canal pancreático principal e do canal biliar comum, onde são drenadas as secreções pancreáticas e biliares para o duodeno. Após observação da papila procede-se à introdução de uma cânula no duto biliar comum ou no canal pancreático principal (conforme as indicações), obtendo-se um colangiograma ou um pancreatograma, respectivamente, que consiste na injecção de produto de contraste radiopaco no canal em causa para permitir a sua visualização por fluoroscopia. Este exame demora entre 30 a 90 minutos, em média uma hora. Indicações Atualmente a CPRE é uma técnica preferencialmente terapêutica e não diagnóstica. A principal razão para esta evolução deve-se à utilização de técnicas diagnósticas menos invasivas, tais como a tomografia computorizada, a endoscopia ou a ressonância magnética que ajudam a selecionar os doentes que necessitam de CPRE.  A CPRE está indicada na avaliação e no tratamento das seguintes situações de doença biliar e pancreática: 

  • Obstrução biliar secundária à presença de cálculos
  • Estenoses benignas e malignas do ducto biliar 
  • Fístulas biliares
  • Pancreatites agudas recorrentes de causa desconhecida
  • Pancreatite crônica
  • Litíase sintomática do canal pancreático
  • Tratamento de pseudoquistos pancreáticos sintomáticos
  • Diagnóstico de neoplasias malignas do pâncreas, através da realização citologia e biopsias